Sofro de bullying porque não bebo álcool! (e já começa a chatear!)

Isto parece mentira mas é mesmo verdade!
As mesmas pessoas que se indignam com episódios de bullying são as que, inconscientemente também o praticam depois.

O bullying é uma palavra relativamente recente.
Até há bem pouco tempo, dizia-se que alguém era gozado ou sofria de violência física ou psicológica (isto resumindo muito a coisa), agora é bullying.

Como tal essa é a palavra que uso atualmente para me defender dos ataques quando alguém se apercebe que eu não bebo.

“NÃO BEBES ÁLCOOL?”

A simples resposta a esta pergunta é “Não, não bebo”.
E automaticamente devia ser respeitada!
Mas não, depois disto vêm os porquês (como se me tivesse de justificar a alguém), as piadas (que podem durar um jantar inteiro), vêm os desafios, as mil perguntas, os olhares de choque (parece que estás a cometer um crime), os sorrisos irónicos (tão parvalhona, não sabe o que é bom!), as tentativas repetidas de que proves aquele manjar dos deuses que abunda naquele copo e por aí fora!
Há claramente uma tentativa de me fazerem sentir um alien desenquadrado neste mundo!

“Porquê? Porquê? Porquê?”

O porquê é algo que me perguntam constantemente!
Caraças pá, nunca vi ninguém a dizer que não fuma e alguém passar uma noite inteira a criticá-lo, a perguntar-lhe o porquê e a tentar fazer com que fume forçosamente.

Claro que já experimentei álcool, mas simplesmente é algo que não me causou nem me causa nenhum interesse.
Não gosto do sabor, detesto mesmo, e já tentei de tudo porque me vão dizendo que “disto vais gostar, é tão docinho” e como ao contrário das pessoas insistentes em fazer-me mudar de ideias, eu tenho algum respeito por elas, até um certo ponto da minha vida, experimentei!

Também já bebi álcool para não fazer desfeita a alguém que por algum motivo ficaria ofendido se eu não bebesse (isto faz algum sentido?)…
sabe-me sempre mal, bebo a muito custo, ou misturo muito gelo para passar a beber água.

Já passei um jantar inteiro praticamente às secas porque o anfitrião não deixava que fosse para aquela mesa nada sem álcool!
Quando lhe expliquei a minha situação (ou o meu gosto) fui gozada, e persistiu no “para esta mesa não vem mais nada além disso”…
…enfim, palavras para quê?
Passei a noite toda com um copo meio cheio a fingir que já o tinha enchido umas 5 vezes. 

Se isto não é bullying ou uma espécie de, eu vou-vos dizer que efetivamente o sinto como tal!

Resumindo, nunca gostei do sabor, da maneira que me faz sentir ou de qualquer experiência associada ao álcool!
Eu divirto-me tanto sem isso

sou tão feliz de forma natural, consigo rir-me muito e ter uma noite tão fantástica sem tocar numa pinga de álcool que só quem não bebe, como eu, é que me compreende!

Quem goza comigo por isso, saiba que interiormente sinto pena por acharem que só se divertem a sério se tiverem muito álcool à mistura.
Mas se assim é, respeito, não vou passar uma noite inteira a dizer a alguém para não beber porque tenho a certeza que se vai divertir de igual forma.

Isto não sou eu a tentar impor-me ou fazer alguém sentir-se mal por beber, sou só eu e aquilo que escolhi para a minha vida. E sinto muito orgulho nesta escolha!

Não faço nada que não goste para agradar, e desde esse jantar em que fiquei às secas,
prometi a mim mesma que nunca mais ninguém me faria passar por isso. Nunca mais!

E há mais!
Do ponto de vista das poupanças, poupo centenas por ano, quer em casa, quer em almoços ou jantares fora!

Já repararam que uma garrafa de vinho por vezes tem o mesmo preço que um prato?
E se for das boas chega a ser o dobro do preço de uma refeição!

Ahahahah, foi só um exemplo, se gostasse muito, sei que não abdicaria.
E não critico ninguém por fazê-lo, se é um gosto, se é um pequeno prazer que têm na vida, força!
Respeito pelos demais acima de tudo!

E isto tudo para vos dizer que se são como eu, não há problema em não beberem álcool se não quiserem.

Sinceramente, fico feliz por ter este blog e por poder transmitir esta mensagem às várias idades que me lêem.
Ninguém tem de sentir que para se enquadrar é obrigado a beber.
Podem divertir-se e serem sociáveis sem isso, acreditem!

Alguém por aí que se junta a mim e sabe o que é passar por isto? Contem-me tudo!

E para não dizerem que sou muito mázinha, deixo nas imagens abaixo o folheto de vinhos do Jumbo, para os fãs.
Basta clicar nas imagens para saber tudo:

Por favor não se esqueçam de votar no Poupadinhos e com Vales para Blog do Ano AQUI.
Se fizerem login com o Facebook é bem fácil. Muito obrigada pelo apoio.

 

 

Relacionados

45 thoughts on “Sofro de bullying porque não bebo álcool! (e já começa a chatear!)”

  1. Olá, eu também não bebo e também sou vista como um ser estranho que não sabe o que é bom para a vida. Nem nas festas da Universidade me conseguiram convencer e sempre me diverti e continuo a divertir. Pelo menos tenho a certeza que não faço figuras de que me venha a arrepender e no outro dia estou fresquinha (sem dores de cabeça e dificuldade em ouvir barulhos). Beijinhos

  2. Não passo pelo mesmo pq ninguém se atreve a impor-me esse tipo de coisa. Não bebo pq não gosto de álcool. Ponto. Qual é o drama? Se me disserem: Para esta mesa só vêm bebidas alcóolicas, eu simplesmente vou-me embora. Não tenho paciência para pessoas que querem impor a sua vontade aos outros só pq sim. Há quem não goste de cenouras e então? Não percebo esta coisa das pessoas acharem que só se divertem se houver álcool envolvido. O pior é que os miúdos tb já pensam assim. E confesso que isso me assusta um bocado. Enfim. A única coisa que posso dizer-lhe é que não deixe ninguém força-la a fazer algo que não quer. Se não quiser chatear-se invente uma desculpa. Tem que levar o carro, está a tomar medicação ( os antibióticos não combinam com álcool e pode sempre inventar um tratamento dentário) qualquer coisa para que não a chateiem. Tb se pode ir embora e deixar o anfitrião a falar sozinho. Era o que eu faria… ( mas eu tenho mau feitio)

    1. Ahahaha, boa! Eu não conseguiria ir-me embora 🙁 mas foi bom, desde aí nunca mais ninguém me chateou!

  3. Olá Poupadinha!
    Sei muito bem por aquilo que passas, nem sei a quantidade de vezes em que me senti um E.T. pelo facto de dizer que não bebo qualquer bebida alcoólica. É como se o facto de ser abstémica fosse algo de outro mundo!
    Assim que tenho a ousadia de o afirmar saltam logo com perguntas do tipo: “ahhh… mas porquê?” ou então “Tiveste uma má experiência?”. Enfim…
    Como tu considero que não é necessário ingerir tal tipo de bebidas para a noite; a festa ou seja lá o que for se tornem mais divertidos, muito pelo contrário!
    Regra geral no final do evento/acontecimento acabo por ser sempre eu que levo o pessoal a casa pois fui a única que não bebi e estou em condições de conduzir. Só este facto já é um bom motivo para não me importar com os comentários que inicialmente todos fazem após o “choque” inicial.
    Ao contrário de ti nunca tive ninguém a “moer-me” durante um jantar inteiro por esse facto, até porque após algum tempo esta minha opção já caiu no esquecimento e a conversa já vai noutro sentido…

    1. É uma chatice…quem me conhece não me mói, mas quem não me conhece muito bem…e era o caso, fui convidada por outra pessoa! Mas tranquilo, já passou e serviu de lição. Beijinhos

  4. É verdade! Tenho 26 anos e não gosto de alcóol mas sempre que digo que não gosto parece que não sou deste mundo ou que quero ser diferente dos outros sendo que muitas vezes fui gozada. Já tive que beber também para não fazer desfeita a alguém e alguns membros da minha família dizem que parece mal não beber, que tenho que me habituar ao sabor. Como se não beber alcóol fosse mau quando deveria ser o oposto!
    Tenho muito orgulho de não beber alcóol porque primeiro não gosto do sabor e segundo considero que, em excesso, é bastante nocivo, vicia e destrói famílias.

    1. Tão verdade Susana, principalmente a última frase! Olha eu desde que assumi com orgulho esta minha opção noto que as pessoas respeitam mais! Beijinhos

  5. A tua frase resume tudo “Quem goza comigo por isso, saiba que interiormente sinto pena por acharem que só se divertem a sério se tiverem muito álcool à mistura.”
    Eu também não gosto de álcool, o meu avô paterno tinha uma taberna e então eu tive a possibilidade de provar todas as bebidas e o que é certo é que detesto todas, é o sabor, é o cheiro, enfim não dá… bebi uma vez um copo de imperial, cheio de vinho tinto como praxe do Grupo Coral e aquilo nem aqueceu nem arrefeceu porque bebi de penalty e a sensação foi a mesma, esta porcaria não presta. Quem gostar que beba mas não têm nada que andar a chatear os outros para beber.
    Eu gosto de me divertir e no dia seguinte saber que me diverti e como o fiz, ao contrário de muita gente que nem sabe como chegou a casa.

    1. Ahahaha, mesmo, digo isso tantas vezes, pelo menos no dia seguinte sei tudo o que vivi e diverti-me à mesma! Beijinhos Zélia!

  6. Boa tarde.
    Estou totalmente de acordo.
    Tenho apenas 22 anos e também não bebo álcool. E sumos também, sinceramente, dispenso. Passo tão bem apenas a beber água.
    Na minha idade também é complicado recusar beber álcool. Saídas com amigos em que todos bebem e alguém não quer. Lá se aceita só um golo ou um pequeno brinde e para mim chega. Não poderia estar mais de acordo de que não preciso de bebida para me divertir. Aliás, posso parecer “cruel”, mas se precisam de álcool para se animarem.. isso para mim não é propriamente um bem-estar verdadeiro.
    E mantenho-me orgulhosamente com esta posição, por muito que insistam.
    Devemos ser fiéis a nós próprios 🙂
    Continuação de um ótimo trabalho!!

    1. É isso mesmo Gonçalo, desde que assumi com orgulho a minha posição noto que o respeito é maior! 😉 Força! E obrigada pelo testemunho!

  7. Finalmente alguém que me compreende…. Também não bebo álcool…. e não param de me chatear……
    Não gosto do sabor, não tenho interesse, não, não e não. Não é uma questão de principio ou de tentativa e ser diferente. Não gosto e ponto final.

    1. O drama está a Carla a fazer! Centenas de pessoas agradeceram o texto porque se identificaram! Como pode ver o texto é longo, deu trabalho a escrever, é um assunto real e meu, e a única coisa que reparou foi na publicidade que está bem no fim! Honestamente, juntei ao útil ao agradável, mas não foi todo um drama para as pessoas clicarem na publicidade, para isso escrevi este artigo específico sobre esse assunto http://poupadinhosecomvales.com/dias-felizes-no-jumbo-vinhos-enchidos/!
      Dê uma espreitadela, aproveite e faça uns cliques, são grátis! Obrigada!

  8. Obrigada, a sério finalmente alguém me entende!
    Tenho 21 anos e sofro de bullying em todos os jantares de amigos / universidade!!!
    Uma das “desculpas” mais usadas foi sem dúvida ” estou de carro, não posso beber ” e digo desculpa porque foi a única maneira que arranjei para que parassem de me chatear, aí já não insistam pra beber.
    Foi tão bom ler esse texto é sentir que afinal há mais gente como eu!!!

    1. Ehehehe, obrigada querida! O que eu gostava mesmo era que as pessoas respeitassem o facto de não gostarmos, sem termos de dar desculpas para pararem com as insistências! Mas desde que tomei uma postura de dizer com orgulho que “Não bebo álcool” já venho notando melhorias! Beijinhos grandes! PS: Estou muito contente, não sabia que existia tanta gente como eu!

  9. Boa tarde,
    mesmo a brincar um blog deveria ter algum cuidado para não usar de forma completamente errada uma palavra, que agora até está na moda.
    Generalizou-se o uso da palavra Bullying e na maioria das vezes ela é apresentada de uma forma completamente errada.
    Seria, na minha opinião, importantíssimo que através dos blogs, deste e de outros, que alguns conceitos fossem adequadamente aplicados para que quem tem menos informação ficasse devidamente elucidado.
    Bullying é o mau trato, fisico ou psicológico, usado pela mesma pessoa sobre outra de forma continuada. Não é considerado Bullying se a situação se verificar algumas vezes e parar. E o agressor ou agressores têm de ser os mesmos. Penso que já lecionou, pelo que deveria conhecer o significado do referido conceito. Na história que conta não existe, obviamente bullying, mas sim ignorância e pouco civismo da parte de quem não a respeitou. Tudo de bom!

    1. Olá Fredy! Sim, a palavra generalizou-se e hoje em dia qualquer tipo de “gozo” é logo catalogado como Bullying, certo!
      No meu caso, só não podemos dizer que foi sempre pela mesma pessoa, embora já tivesse acontecido a mesma pessoa repetir a “brincadeira”, porque sim, na insegurança da juventude, eu senti-me colocada de parte e outras coisas piores por não beber álcool! Foi um ato continuado durante muitos anos, de tal forma que comecei a evitar ir a jantares na Universidade porque já sabia que iria passar pelo mesmo de sempre durante os mesmos!
      Eu, pessoalmente, sinto que quando estamos numa situação em que nos retraímos e pensamos duas vezes se devemos dizer “Eu não bebo álcool” ou fingir que bebemos só para evitar represálias, ou porque não nos apetece ter alguém à perna durante imenso tempo com todo o tipo de comentários por uma situação que é única e exclusivamente uma opção, acho que isto é grave! E a coisa prolongou-se para a minha vida adulta, aliás existe todavia, mas agora já sei lidar com isso…atualmente digo muitas vezes aos amigos, na mesa do jantar onde estou “Epá parem de me chatear, isto é Bullying”, e pode até achar que estou a usar a palavra de forma incorreta, mas foi o que senti durante imenso tempo! Que há níveis de Bullying muito mais graves? Claro que sim, mas assim como a violência doméstica, todos os casos são graves só que uns assustam-nos mais que outros…no entanto só quem passa por elas é que sabe o que sentiu! E concordo plenamente com a parte da ignorância e pouco civismo, sem dúvida! Bem haja!

  10. Aconteceu algo parecido com a minha filha, quando entrou para a universidade. Havia praxes e jantares de curso em que obrigavam os caloiros a beber álcool,
    como a minha filha não bebe foi praticamente humilhada, apartir daí passou a fingir que bebe só para deixarem de a incomodar.

    1. Sim, também já fingi que bebi 😉 Hoje já não o faço, mas fi-lo só para não estar a ouvir as pessoas!

  11. Eu também não bebo!!! Não gosto. Não me sinto inferior mas é engraçado num contexto de restaurante ser das únicas adultas a pedir uma garrafa de água… e das grandes! E que bem me sabe! Ah ah ah!
    Somos as maiores!

  12. Ah! Comecei a achar que era eu a única ave rara que considera esse costume social a coisa mais ridícula do século XXI! Afinal somos mais! 👏🏼👏🏼👏🏼

    1. Nããã, há muitas mais aves raras! Nunca pensei que fossem tantas, mas este post também serviu para isso! Estou feliz por ter tocado no assunto e ter havido tanta partilha de experiências! Beijinhos

  13. 13/10/17
    É muito curioso saber como algumas coisas têm evoluído para pior à medida que os anos vão passando.
    Tenho 60 anos, nunca gostei de vinho nem da maior parte das bebidas alcoólicas (bebo ocasionalmente licor que eu mesma faço, sobretudo para oferecer), mas nunca senti qualquer tipo de pressão da parte de “amigos” ou conhecidos para beber aquilo que eu não gostava ou não queria. Era o que mais faltava!!! Mesmo em discotecas só bebia cocktails sem álcool e nunca deixei de me divertir.
    Nunca mudei os meus hábitos e fingi alterar os gostos para agradar a alguém. Garanto-lhe que se me pressionassem ou gozassem comigo por ser diferente, só o fariam uma vez.
    Mas os tempos mudaram muito e agora é de bom tom começar a beber álcool muito cedo. Há miúdos que começam a beber aos 12 anos e quando estão na night só começam a divertir-se depois de estarem a cair de bêbados.

    1. É verdade Madalena, há coisas que mudam para pior! Os meus amigos, os que já me conhecem respeitam, todos falamos abertamente e brincamos até por isso! A falta de respeito vem de quem ainda não me conhece bem…o que se torna ainda mais desagradável! Beijinhos

  14. Tiras-me as palavras da boca!
    Apenas não sinto que sofro de bullying porque ai daquele jantar em que não me sirvam bebida sem álcool… É que entrava ali o furacão Claudia naquele jantar LOL Mas sim, as perguntas são uma constante e sim, já chateiam!!
    Só por este artigo ganhaste o mei voto! Muita força! Continua assim!!

    1. Ahahaha furacão Cláudia, muito bom! Hoje em dia já ninguém me faz isso, e eu nem conhecia a pessoa em questão, fui convidada por um amigo, mas hoje não admitiria! Eu só quero dizer “nao bebo álcool” e ponto final, já me aborrece as mesmas expressões, perguntas, insistências etc, é só isso, é que é chato 😉 beijinho grande e obrigada pelo voto, fiquei contente 😘

  15. Verdadeiros amigos não gozam, não fazem bullying, não tentam obrigar a provar nada nem ficam ofendidos por seguirmos as nossas convicções, RESPEITAM-NAS. Se não o fizerem, são uns completos idiotas que não merecem o título de amigo. Onde já se viu isso?!?!?!?

    1. Com os meus amigos não tenho problemas, expliquei em tempos de juventude quando era a primeira vez e respeitam-me, todos sabem que não bebo, ponto, sou a motorista 😉 o problemas são alguns amigos dos amigos ou pessoas que acabo de conhecer! No caso deste anfitrião eu não o conhecia, fui convidada através de um amigo em comum, que aliás ficou um bocado aflito por mim com a situação…e eu acabei por não querer arranjar problemas para o meu amigo e acabei por engolir em seco 😃 literalmente 😂hoje em dia ninguém me faria isso, era só o que faltava, mas hoje tb já tenho uma postura quando informo alguém que não bebo álcool que acho que ninguém se habilita a perguntar nada, quanto mais proibir-me de beber água! Beijinhos

  16. Deviamo-nos juntar e fazer um almoço ou jantar, todos/as com o copo da água na mão. Havia de ser giro, hehehe.

    1. Isso é que era de valor! Seria um espectáculo! A sério que deveríamos combinar 🙂 Vamos pensar nisso? Beijinhos

  17. Eu sempre fui olhada de lado porque não bebo álcool, não fumo e não bebo café. Vivo muito bem com as minhas opções de vida e se nunca deixei que ninguém gozasse (pelo menos à minha frente) não é agora quase a entrar nos “entas” que o farão. E quando me perguntam: “Mas tu não tens vícios?” Eu respondo: “Sim tenho. Sou viciada em boa saúde, livros, cultura, passeios ao ar livre e caminhadas, sempre na companhia de bons amigos (2 pés ou 4 patas) e da família.”

    1. E eu que pensava que estava sozinha nesta caminhada e eis que aparecem outros/ as caminhantes como eu. Nunca me senti menor por não beber álcool e nunca permiti que se excedessem nos comentários . Obviamente que os houve mas nunca deixem que se ” esticassem “. E Nunca mesmo experimentei sequer. Só o cheiro me agonia. Quanto a questão dos vícios tive uma situação numa consulta na urgência do hospital a médica de serviço perguntou – me “mas não bebe , não fuma , nada… Então o que faz ? Eu respondi .. Tenho três filhos, alguma coisa devo fazer , não ? 😂. Se houver jantar de Água , contem comigo .

      1. Ahahaha jantar de água, tão bom 😀 <3 é por estas e por outros que me sinto uma privilegiada por ter este blog, conheço pessoas tão, mas tão queridas! Adoro os meus seguidores <3 Um grande beijinho Ângela :-*

  18. Eu gosto de um bom vinho e de algumas bebidas brancas. Bebo quando me apetece e se for com a companhia de amigos, é perfeito.

    Posto isto… o que raios passa pela cabeça dessa gente?

    E se a Janine fosse a anfitriã e dissesse: para esta mesa só vem água. Aguentem-se! Sumos tem açúcar e vinho é para os bebedos.

    Ridículo.

    O exemplo que deu, dos cigarros, é perfeito. Não sei porque não conseguem respeitar a vontade dos outros.

    Enfim!

    Beijinhos e àgua fresquinha 😊

    1. Sim, essa de dizer que não sirvo álcool a ninguém, também é boa 😀
      Enfim, hoje em dia já ninguém me faria isso, até porque a postura que tenho sobre o assunto é bastante diferente, tenho orgulho em não beber álcool, antes eu própria achava-me estranha por não gostar de álcool, mas era uma miúda!
      No entanto, ainda me aborrece, saber que da parte de quem não me conhece e isto é novidade, vai sempre haver as perguntas, os olhares de lado, o olharem para o meu copo de água e abanarem a cabeça em género de desaprovação…chiça, é que é mesmo chato, mas as opiniões passam-me ao lado 😉 não queiram saber o que penso eu deles 😀 Beijinhos!

  19. Boa noite

    Eu tenho 35 anos, nao gosto do sabor nem do alcool e nao bebo. As vezes que experimentei vinho foi com o meu pai (apreciador de um bom vinho) e na taberna do meu avô onde experimentei outras bebidas mas nunca gostei.
    Durante a minha juventude tive algumas situações com amigos em que me queriam obrigar a beber, sempre disse que “não” e sempre fui sujeito a varios comentarios um dos quais: “ai que menina me saiste”.
    Depois vinham sempre os porquês?
    Nao me importo de explicar, mas sempre que conheço pessoas, parece que é um estigma , parece q sou um alien!! Hahaha
    A situaçao mais caricata que tive foi numa festa do secundario fui buscar um sumo e estava a falar com dois colegas de turma entretanto um terceiro começou a colocar vodka sem eu me aperceber, qdo vi retirei o copo caiu um pouco de vodka no chao ainda disse “a vodka é cara” e disse-lhe “não é não” algo q ja lhe tinha dito umas 6 vezes durante a festa.
    Anormais ha sempre, o q podemos fazer é afirmar a nossa posição e nao ceder.
    É bom saber q há outras pessoas com o mesmo ponto de vista. Beijos e abraços Diogo

    1. Olá Diogo, que comentário tão bom, é mesmo bom saber que não estamos sozinhos, obrigada! Mas esse estigma e as situações porque vamos passando são aborrecidas, é sempre frequente, eu costumo dizer que só queria ver uma expressão normal quando digo “Não bebo álcool”, pronto, só isso, isso e não haver perguntas, se bem que também vou sentindo que com a idade há um maior respeito, na juventude era algo do género “fraquinha”, era tão irritante!
      Hoje em dia orgulho-me da minha posição e acho que a forma como o transmito também já vai dando uma ajuda, pelo menos nunca mais passei um jantar às secas, ahahahaha!
      Beijinhos

  20. Olá Janine, eu não considero bullying, eu considero falta de respeito associada a falta de educação.
    Eu bebo vinho ao jantar, ao almoço só aos Domingos, mas tenho amigas/os que não bebem, qual é o problema?
    Eu bebo café, tenho amigas/os que não bebem e depois?
    Eu não bebo café à noite, tenho amigas/os que bebem e só me perguntam, Paula queres café?
    Por exemplo conheci amigas/os de um ex namorado que fumavam uns charros, engraçado mas nunca me perguntaram se eu queria, achavam-me a menina certinha, e ainda bem pois eu também não queria, e já saí com um amigo que fumava uns charros e também nunca me perguntou se eu queria, o único problema é que fomos interceptados pela polícia enquanto ele estava a fazer um, a sorte é que que ele era GNR, ironia,não? a única chatice esse dia podíamos ir para a esquadra e eu eu nunca lá estive:)

    1. Ui Paula, grande aventura! Eu não fumo, não bebo café, nem álcool e as pessoas só são parvas no que diz respeito ao álcool! Se bem que atualmente, os meus amigos já me conhecem é tranquilo, quem me conhece agora é que estranha, a pergunta vem sempre, o olhar para o meu copo de água e abanar a cabeça em género de desaprovação também é frequente, muitas vezes é em género de brincadeira, mas são anos de brincadeiras que já começam a aborrecer, é chato, é mais do mesmo! Mas vivo muito bem com isso, já todos os males fossem esses, simplesmente durante tempos incomodou-me bastante, talvez porque também não era segura quando dava a informação, como já sabia que ia ser gozada e tal, dizia a medo, atualmente não faço isso, digo orgulhosamente que não gosto de álcool, quem estiver mal que se mude! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *