Resistam às armadilhas dos Supermercados – Saibam tudo AQUI

Há imenso tempo que queria escrever sobre isto, mas realmente desta vez foi o meu filho que me fez recordar quais os motivos e a sua importância dentro do assunto poupar.

Venho falar das armadilhas nos supermercados que nos levam a comprar o que não precisamos!

Mas quem é que compra coisas que não precisa? E porquê que compram? Perguntam vocês!!!
Simples, existem estratégias para que isso aconteça, a coisa é de tal forma que até o meu filho de 4 anos reparou e questionou-me sobre isso!

Comecemos então exatamente por aí, pelo que despoletou esta curiosidade da parte de uma criança tão pequena.

Estávamos a comprar bolachas, num corredor completamente fora da zona dos brinquedos, onde os corredores seguintes e anteriores eram cereais, iogurtes e produtos alimentares, e ali mesmo, no meio de tantas bolachas surge uma fileira de carrinhos Hot Wheels!
O meu filho estava a escolher as bolachas que queria muito entusiasmado e de repente viu os carrinhos, perguntou-me de imediato porque estavam carrinhos no meio das bolachas e ainda fez o comentário: “Que esquisito!”!

Pois é, estamos perante uma armadilha…o meu filho sabe que não vamos ao supermercado comprar carrinhos e sim comida, se por ventura me apetece oferecer-lhe algo, ele sabe disso com antecedência, caso contrário é uma criança que olha, pergunta se um dia mais tarde poderá ter, mas não pede, nem faz birras por isso, ele sabe bem onde está e conhece as regras, mas sabemos perfeitamente que algumas crianças, naquele momento em que foram comprar bolachas, por estar ali aquela exposição acabaram por ganhar um carrinho (alguns já tinham sido comprados), ou porque era só 2€ e os pais não se importaram com esse valor, ou porque a criança começou a fazer uma birra e para não a ouvirem compraram-lhe o carrinho.
E várias outros motivos podem levar à compra de um artigo que estava completamente fora de cogitação trazer naquele dia, e tudo porque foi colocado “onde não devia”.

Seguimos então para os truques que nos farão fugir às armadilhas que devem tentar evitar nos supermercados:
Leve sempre lista de compras e obrigue-se a só comprar o que realmente precisa
Os produtos essenciais, como o leite por exemplo, tendem a estar mais longe da entrada, assim temos que passar por uma série de produtos atrativos até lá chegarmos, e provavelmente caminhando de forma lenta iremos parar e cair em tentação, com a lista na mão e andando rápido vamos diretos ao que interessa, sem cair em armadilhas;
– Procurar melhor para poupar
Como é que aquelas batatas fritas gourmet foram parar ao nosso carrinho?! Procurem sempre o melhor preço,  há produtos que são praticamente iguais a outros mas só pela marca sobe 50% do preço ou mais, não procurar pode levar-nos a colocar no carrinho a embalagem mais apelativa e nem reparar que escolhemos a mais cara de todas!
–  Sempre que possível, pesem a fruta e legumes nas balanças, assim conseguem controlar exatamente o peso que querem.
Reparo que quando são supermercados que a pesagem só é permitida na caixa, o controlo do que trago é muito menor, na minha opinião, de repente as balanças deixarem de funcionar, traz água no bico!

Fugir dos legumes frescos ditos “prontos e lavados”
Aqui o exercício é muito simples, basta pegarem numa alface inteira e compararem a quantidade de saladas que farão com a mesma, por um preço  bastante mais baixo que se comprarem a embalagem de alface já cortada e lavada! O mesmo se aplica a cenouras e outros legumes mais.
– Artigos que se complementam
Os artigos que se complementam costumam estar juntos, um deles é sempre mais caro que o outro, mas a tendência é pegar nos dois sem hesitar! O segredo é ponderar se realmente precisam do 2º artigo que estão tentados a trazer, lá está, se andarem depressa, como referi no 2º ponto, provavelmente vão direto ao produto que precisam e nem olham para o que está ao seu redor.
– Atenção à exposição dos produtos
Produtos que estão ao nível dos nossos olhos, são claramente aqueles que a supermercado quer vender! Obviamente que o supermercado quer vender todos os produtos que lá tem, mas a forma como os colocam no linear tem muito que se lhe diga, em cima e em baixo colocam os essenciais, que estejam onde estiver o cliente terá que comprar, os outros terão que ser destacados! O consumidor, mesmo andando depressa olha para aquilo que está à vista e não para o topo ou a parte inferior da prateleira. Da mesma forma que à entrada do supermercado têm quase sempre as chamadas ilhas,  que são claramente produtos que se encontram fora do seu local normal, ou porque estão em promoção, ou porque simplesmente a loja quer vendê-los.
O marketing sensorial é uma estratégia que se usa cada vez mais nos supermercados. Produtos frescos e bonitos, comida cheirosa e pães acabados de sair do forno, tudo isto acaba por nos fazer cair na armadilha.
Nas compras comecem por produtos volumosos, como papel higiénico e detergentes, assim ficam com menos espaço para aquelas coisas deliciosas e tentadoras (e claro pouco saudáveis) que apanhamos no fim do supermercado, como as bolachas, os refrigerantes, batatas fritas, aperitivos e doces 🙂

Não vão às compras com fome 😉 o resultado é trazer tudo o que lhe parecer delicioso naquele momento, o que, como devem calcular, vai sair caro para a vossa carteira.
– Cuidado com os artigos que estão nas extremidades, está provado que é 30% mais provável vender artigos que estão nessa zona, pois quando estamos com pouco tempo parece que “ainda bem que isto estava aqui, estava mesmo a precisar”.

O que acharam? Identificaram-se com alguma situação? Já estiveram envolvidos em alguma destas teias de marketing? Agora já sabem o que podem fazer para resistir!

Artigo originalmente escrito em 2015

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *