Poupe nos medicamentos – APP + Genéricos (ou não)

A pedido de muitos poupadinhos vou começar a publicar artigos dedicados à saúde.
Antes de mais quero ressalvar que não tenho qualquer formação na área, sou apenas uma curiosa e cuidadosa em relação a este assunto, pelo que se existirem especialistas desse lado que me queiram corrigir em alguma informação, ou adicionar outra, estão completamente à vontade, até agradeço, gosto de aprender mais e com a saúde não se brinca.

Mais do que poupar na carteira, cada vez mais é necessário poupar a saúde, ou seja, prevenir situações mais complicadas.
N
este primeiro artigo vou abordar o tema de medicamentos de marca e medicamentos genéricos, já falei em outras ocasiões sobre este assunto, mas vamos mesmo iniciar aqui um capítulo relativamente à saúde.

Ainda nos dias de hoje existem muitas pessoas, de várias gerações, que vêem com maus olhos os medicamentos genéricos e isto deve-se principalmente ao facto de não saberem o que são e de que modos diferem ou não dos medicamentos de marca.

O medicamento genérico é um medicamento com a mesma substância ativa, dosagem, indicação terapêutica e forma farmacêutica que o medicamento de marca que serviu de referência.
Apresenta também a mesma eficácia e segurança e custa, geralmente, menos.
Um exemplo simples é este do BEN-U-RON, um dos medicamentos mais solicitados numa farmácia e local de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM), conhecido por parafarmácia. 

Vejam a imagem abaixo do medicamento de marca: BEN-U-RON, e se repararem por baixo do nome da marca está escrito “paracetamol”.
Esta é a substância ativa. Também na embalagem está indicado 500ml que é a dosagem que cada comprimido tem. O preço ronda os 2€.

Entretanto, na segunda imagem têm um medicamento genérico. Como podem comprovar pela imagem, está lá indicado a mesma substância ativa, como também a mesma dosagem e forma farmacêutica (comprimidos).
Esta caixa, que por acaso tem a mesma quantidade de comprimidos (nem sempre acontece) custa apenas 0,99€.
Agora, porque vou eu gastar 2€ num medicamento se posso comprar o mesmo por metade do preço?
Não compro. Se me dou bem com o genérico, simplesmente compro o genérico.
Outro exemplo de medicamentos de marca é: Brufen, Trifene e Nurofen.

Todos estes medicamentos variam em preço mas têm todos a mesma substância ativa: Ibuprofeno.
Para além destes medicamentos de marca com esta substância, existe também o genérico que é mais barato que qualquer um destes de marca.
Há, contudo, algumas situações onde o genérico nem sempre é o mais barato, e por isso, também nos medicamentos é importante que exista a tão falada (por mim) comparação de preços.

A Infarmed criou uma app “Poupe na Receita” (última imagem).
Esta aplicação é completamente gratuita e está disponível para android e iOS e podem verificar qual o nome do medicamento mais em conta, como também têm acesso aos folhetos informativos.
No final, a aplicação indica o preço para utentes “normais” e para pensionistas, os quais também podem beneficiar de descontos bem significativos, existindo casos, em que pedindo o medicamento de determinado laboratório poderá ficar a custo zero, basta que se informe e questione.

Posto isto, não posso deixar de dizer que é extremamente importante recorrerem a um médico se, após a auto medicação (desaconselhada em boa parte dos casos), existirem efeitos adversos e/ou se os sintomas persistirem ou agravarem.
Devem também indicar sempre, antes de adquirir qualquer medicamento, se estão a tomar outra medicação e/ou se têm uma situação de saúde que exige acompanhamento médico.

Para mais informações sobre este tema, falem com o vosso médico e/ou farmacêutico.

Se gostaram deste artigo, vão gostar de ver isto também!

Relacionados

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *