Como poupar na farmácia

Poupar na farmácia e em medicamentos não significa poupar na saúde. Partilho algumas dicas de poupança para contornar estes gastos.

Seja esporadicamente, seja com alguma frequência, os nossos consumos na farmácia acabam por ser um mal (ou bem, dependendo do caso e do ponto de vista) necessário.

O facto de recorrermos a medicamentos poucas vezes, é o mais flagrante para percebermos que quem tem na medicação uma obrigação, lida pois com uma grande despesa ao final de cada mês.

Fora isto, ainda existem as vitaminas, os estimulantes,  uma série de produtos que servem para melhorar o nosso bem-estar!
 

Há maneira de contornar este gasto? Há sim, vejamos algumas dicas:
 

1. Comece por aderir ao Cartão Farmácias Portuguesas.
Neste cartão vai acumulando pontos a cada compra, e os mesmos podem ser trocados posteriormente em produtos do catálogo ou dá também para descontar nas compras.
Em todas as farmácias questione se pode usar o cartão, por norma as que não têm esta vantagem oferecem 10% de desconto imediato.

 

2. Crie um espaço em casa destinado somente à arrumação de medicamentos, pode ser uma caixa, uma gaveta, um armário, aquilo que lhe parecer mais prático, desta forma tudo estará num local específico sempre que precisar.
 

3. Faça uma lista/tabela detalhada com todos os medicamentos que fazem parte da sua “Farmácia em casa”.
Coloque o nome do medicamento, dosagem, tipo, validade e quantidade.
Actualize esta lista sempre que toma medicamentos, sempre que alguns chegam ao fim, e sempre que a validade dos mesmos acaba.

4. Imprima a sua lista sempre que for ao médico.
Entregue-a no acto de passar receita, para que o médico não prescreva medicamentos que já tem em stock.
Também pode ser você  mesmo a fazer essa gestão quando for aviar a receita.

 

5. Chamo a atenção para os medicamentos genéricos, os mesmos em muitos casos são bastante compensadores a nível de poupança, considere esta opção para poupar alguns euros na farmácia.
 

6. Aconselha-se também que de 6 em 6 meses faça uma manutenção da sua “Farmácia em casa”.
Verifique o stock (com a lista de medicamentos em mão) e faça as devidas actualizações (validade expirada, novas embalagens, medicamentos quase a terminar).

 

7. A fidelização em determinada farmácia pode também ser um ponto a favor.
Desde descontos por ser cliente habitual, até aos conselhos preciosos por parte dos farmacêuticos, inclusive dando a conhecer produtos igualmente bons mas mais baratos, são algumas das vantagens.

 

8. Nunca deixe terminar medicamentos essenciais e quando terminarem reponha de imediato.
Tenha algum stock de:
– paracetamol,
– xarope para a tosse,
– comprimidos para as dores de cabeça
– pastilhas para as dores de garganta
Assim em algum caso repentino de mal-estar não terá que sair de casa e gastar combustível propositadamente.

 

9. Por fim, evite ficar doente.
Como? Cuide a sua alimentação, faça exercício físico,  durma o número de horas aconselhadas, pondere a vacina da gripe durante o Inverno e viva um dia de cada vez, sem que a preocupação e stress tomem conta da sua vida.
Seguindo estas dicas, provavelmente, a sua conta de farmácia, terá mudanças muito positivas.

Artigo originalmente escrito para a minha crónica no site E-Konomista.pt, em 2015

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *